Minha experiência pessoal com Militec 1, será que realmente funciona?

Resolvi escrever este artigo para contar minha experiência de uso do Militec 1, o mais antigo e famoso condicionador de metais do mercado. Mas antes de tudo acredito ser importante me apresentar para todos vocês que, ao contrário da maioria, tenho experiência em mecânica automotiva e motociclística. Meu nome é Maclei Tozzato e desde sempre fui entusiasta em mecânica de carros. Comecei aos 8 anos de idade desmontando e limpando o carburador do Fusca 1300 1969 do meu pai e peguei gosto pela coisa!

Sempre que precisava levar os carros da família nos mecânicos eu voltava sujo de graxa porque nunca fui daqueles que largavam o carro no mecânico e iriam fazer outras coisas, ficava parado olhando e ajudando o mecânico a realizar os serviços. Tive muita sorte porque vez ou outra pegava profissionais que me davam verdadeiras aulas de como as coisas funcionavam e como fazer alguns serviços. Foi um grande aprendizado que vai me acompanhar pela vida toda.

Meu primeiro carro foi um Chevette Hatch 1980 na cor verde, isso em 1995, um carro que foi uma verdadeira escola, tudo que podia ter feito de errado com ele foi feito. Lembro até hoje de ter ficado enguiçado em frente a um motel, em plena viagem de carnaval, porque tinha ligado os faróis auxiliares de forma errada, esquentando a bobina e fazendo o carro morrer. Lição aprendida e depois desse dia nunca mais fiz qualquer coisa no carro antes de consultar os manuais e as boas práticas de mecânica e elétrica automotiva.

Será que fui enganado? Será que Militec 1 funciona?

Em novembro de 2014 resolvi criar meu canal no Youtube para mostrar como as pessoas podem fazer vários serviços em seus automóveis em casa. Meu carro na época era um Fiat Palio EX 1.0 2002, um carro que tenho um carinho enorme porque foi com ele que comecei minha vida de youtuber. Já no final de 2015 adquiri minha primeira motocicleta, uma Suzuki Yes 2008 comprada praticamente destruída, e foi com ela que comecei no mundo da mecânica de motos. Tenho muito carinho por ela e, se pudesse hoje a compraria novamente. Só que dessa vez tive acesso a documentação técnica precisa, o manual técnico de manutenção que as concessionárias usam. Toda reforma dela, e da minha moto seguinte, uma Suzuki Intruder 125 2005, foi compartilhada em vídeos, me tornando na época a maior referência em mecânica de 125 cilindradas da Suzuki.

No momento que estou escrevendo esse artigo já tive mais de 17 carros, sendo 6 da Chevrolet, 4 da Volkswagen, 3 da Fiat, 3 da Renault e 1 da Ford, e 9 motocicletas, sendo 4 da Yamaha, 2 da Suzuki, 2 da Haojue e 1 da Honda.

Queria desmascarar o Militec 1

Eu já tinha conhecido o Militec 1 a alguns anos atrás, mas em março de 2017 resolvi fazer um teste para provar que ele era apenas um placebo e não funcionava. Não acreditava no que era divulgado sobre ele, parecia um milagre, e estava certo que provaria que era pura enganação. Na época não tinha conhecimento nenhum sobre como ele funcionava e estava certo do sucesso do que iria fazer. Eu era igual aos que hoje postam nas redes sociais boatos negativos sobre o condicionador de metais sem ao menos ter testado o produto!

Bom, ao fazer a troca de óleo do meu carro na época, um Renault Logan Authentique 1.0 16v 2011, na loja que até hoje faço as trocas de óleo dos meus carros, percebi que eles tinham começado a revenda o Militec 1. Ao final da troca de óleo, quando ligamos o motor para verificar se tudo está ok, pedi para o dono da loja colocar o Militec que dessa vez iria aplicar ele. Carro desligado, Militec aplicado e ligamos o carro novamente. Deixei o carro ligado e fui fazer o pagamento de todo o serviço.

Deu dois minutos percebi que o carro estava desligado e perguntei ao funcionário da loja por que ele tinha desligado o carro. Fomos até o carro, ele olhou o painel e disse que o carro estava ligado sim porque o painel estava marcando o RPM. Colocamos as mãos no capô e realmente estava ligado! Abrimos o capô e confirmamos que realmente estava ligado. Na mesma hora o trocador de óleo soltou: “caramba, parou de fazer o barulho de saia de pistão”, barulho característico desse motor 1.0 16v da Renault.

No momento não acreditei no que estava acontecendo, veio na hora o pensamento de que o vídeo que queria fazer desmascarando o Militec 1 foi por água abaixo. Foi a primeira vez que me dei mal me dando bem, já que meu carro iria mesmo se beneficiar com esse redutor de atrito. Nesse vídeo a seguir, gravado logo após o fato, conto como tudo ocorreu:

Depois com o uso do carro fui percebendo que realmente diminuiu bastante o barulho do motor, em baixa rotação estava muito silencioso, mal percebia seu funcionamento dentro do carro. E na estrada, acima de 110km/h quando o barulho era muito alto a ponto de dificultar a conversa com minha esposa no banco dianteiro, também diminuiu bastante a ponto de podermos falar mais baixo. Na época viajava todos os finais de semana para Araruama, cidade da Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro, então pude perceber realmente esse benefício.

Outro ponto positivo que notei foi que o motor funcionava mais suave, mais liso, sentia que ganhava rotações mais rápido e linear. Isso se traduziu em mais um benefício: houve uma melhora no consumo de combustível, mais precisamente gasolina. Quanto ao benefício de reduzir o desgaste do motor realmente não pude testar muito. Na época meu carro possuía 70 mil km rodados e vendi ele 1 ano depois com pouco mais de 100 mil km, mas o comprador levou um mecânico que não acreditou que o carro tinha tal quilometragem porque o motor estava novo de mais, até ficou procurando alguma gambiarra que eu pudesse ter feito. Acredito que tenha feito seu papel de reduzir o desgaste do motor mas não pude rodar por mais tempo para comprovar.

Eu tive muita sorte ao fazer esse teste por diversos motivos. Primeiro porque possuía um carro que tinha um motor muito barulhento e em sua versão básica que não tinha forrações acústicas eficientes. Isso por si só ajuda a notar qualquer melhoria no veículo, e também qualquer barulhinho… Segundo porque todos os finais de semana eu viajava para o mesmo local, na mesma estrada e sempre em condições semelhantes de trânsito, como controlava religiosamente os abastecimentos para fazer a média do consumo de gasolina, também foi fácil perceber a melhora nos gastos com combustível. E por último porque também sou daqueles motoristas que tem mais sensibilidade para sentir a dinâmica do veículo, percebendo pequenas mudanças que outras pessoas não conseguem identificar.

Depois disso passei a utilizar condicionador de metais no meu próximo carro, uma Fiat Idea Attractive 1.4 2014, que tenho até hoje, e em todas as minhas motos que tive a partir desse meu primeiro teste.

Militec 1 realmente funciona?

Mas será que o Militec 1 realmente funciona ou também fui enganado? Segundo Tiago Marques, piloto e CEO da GT Sprint Race, Militec 1 funciona. Essa modalidade do automobilismo brasileiro conseguiu um feito histórico a partir da aplicação do condicionador de metais Militec 1. “Tivemos três anos sem ter quebra de motor. Não existe no mundo todo uma categoria com um desempenho desses. Essa é uma marca histórica”, comemora Tiago.

A GT Sprint Race é uma modalidade de corrida de carros acessível a pilotos profissionais e não profissionais, onde uma única equipe é responsável por todos os carros usados do grid da categoria. Tamanha sua importância para o automobilismo nacional, que já faz parte do calendário do automobilismo brasileiro, hoje está posicionada entre os campeonatos nacionais da Stock Car e o Brasileiro de Marcas.

Como o Militec 1 funciona?

Uma das principais características do Militec 1 é ser um condicionador de metais, usando o óleo como meio para chegar às superfícies metálicas e aos pontos críticos de calor dentro do equipamento. Uma vez que ele chega a esses pontos, se separa completamente do lubrificante fazendo com que as moléculas do condicionador de metais se fixem na superfície metálica por meio da absorção (fixação de molécula de uma substância na superfície da outra). Isso acontece entre 38º C e 66º C, variando segundo as condições de atrito e carga, deixando a superfície cerca de 17 vezes mais resistente. Além de aumentar a resistência da superfície metálica, o Militec 1 diminui consideravelmente o atrito e o arrasto parasítico que ocorre entre os metais.

Militec 1 não substitui óleo lubrificante!

É comum que o Militec 1 seja aplicado no motor do veículo junto com o óleo lubrificante. O que não quer dizer que se trate de um aditivo, já que ele não contém melhoradores do índice de viscosidade, não altera a composição físico-química e nem o intervalo da troca de óleo. Importante: o Militec 1 não substitui a utilização do óleo lubrificante! Troque o óleo conforme recomendações do fabricante e leve em consideração as orientações do distribuidor exclusivo do produto no Brasil.

A orientação da Militec Brasil, distribuidora exclusiva do produto no Brasil, é que o Militec 1 seja utilizado na proporção de um frasco de 200 ml para cada 4 litros de óleo, a cada 20 mil km. A aplicação dele é independente da troca de óleo, por ser um condicionador de metais e ficar no metal e não no óleo. “Uma vez aplicado, em até mil quilômetros o condicionador de metais já terá alcançado todo o motor do veículo”, explica Paulo Germano, diretor comercial da Militec Brasil.

Como usar o Militec 1 corretamente?

Em automóveis (gasolina, flex, etanol ou GNV) com até 4 litros de óleo do motor, deve-se aplicar um frasco de 200 ml a cada 20 mil km rodados, independentemente do período de troca do lubrificante do motor, especificações e tipos de óleo (mineral, semissintético ou sintético). Recomenda-se que em veículos motores com condições severas e intensas de uso, como táxis, carros de aplicativos e entregadores, a recomendação é reduzir o período de aplicação pela metade, como também deve ser feito com o óleo lubrificante!

Vejam na minha videoaula a seguir como é simples fazer a aplicação no seu carro:

Em motocicletas a Militec Brasil mudou sua recomendação e forma de aplicação. Antes era recomendado aplicar 50 ml para cada litro de óleo e era necessário aguardar 15 minutos antes de acionar a embreagem da moto apenas após a primeira aplicação, depois podia-se usar novamente a moto até a próxima aplicação. Hoje o distribuidor brasileiro recomenda 40 ml por cada litro de óleo (inclusive lançaram uma embalagem com essa capacidade para facilitar a aplicação em motocicleta) a cada 4 trocas de óleo e não recomenda mais aguardar 15 minutos para usar a moto após a aplicação, já pode colocar o condicionador de metal e sair usando usa motoca. Mas lembro que se sua embreagem já estiver gasta a ponto de ficar patinando não é recomendável aplicar o Militec até você realizar o conserto.

Vejam na minha videoaula a seguir como é simples fazer a aplicação na sua moto seguindo a recomendação antiga da Militec Brasil, pessoalmente recomendo a nova quantidade recomendada mas mantenho a dica da embreagem:

Militec 1 causa corrosão?

Nos últimos meses tem surgindo uma enxurrada de vídeos e publicações tendenciosas dizendo que o Militec 1 causa corrosão no motor por conter cloro. Mas em 2019, a Militec Brasil realizou uma série de testes com o Militec 1 junto de seis marcas diferentes de óleos lubrificantes. Todos os laudos revelaram que os índices de corrosão permanecem os mesmos, tanto na análise individual dos óleos quanto nas avaliações em conjunto com o Militec 1.

Ao todo, foram 12 testes com seis marcas diferentes de óleos lubrificantes, mais um laudo técnico a partir de teste realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que comprovaram que o Militec 1 não gera ácido clorídrico e, com isso, não oferece risco aos motores e, portanto, não estraga o veículo.

Atualmente está sendo realizado um estudo sobre condicionadores de metais, o maior em desenvolvimento atualmente no país sobre o assunto. Conduzida pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), a pesquisa observou, de modo inicial, que a aplicação do Militec 1 reduziu em até dez vezes o desgaste por atrito em ensaio de pino. O estudo tem previsão de 48 meses de duração. O objetivo é desenvolver uma metodologia robusta para uma avaliação ainda mais precisa de condicionadores de superfícies.

Conclusão

Bom pessoal, acredito que tenha conseguido passar para todos vocês minha experiência real no uso do Militec 1. Não tenho vergonha de dizer que estava errado sobre o produto, mas depois desse meu primeiro teste pude perceber que o condicionador de metais realmente traz benefícios para o motor do carro. Em breve pretendo fazer testes com a aplicação dele no ar-condicionado e na direção hidráulica, aguardem novidades em breve!

Sobre a Militec Brasil

A Militec Brasil é representante exclusiva e oficial da marca Militec 1 no Brasil. Trata-se de um condicionador de metais usado em motores, junto ao óleo, para diminuir o desgaste das peças e ainda aumentar potência, gerar economia de combustível e reduzir a emissão de gases poluentes. O produto também tem inúmeras utilizações para onde existe contato metal com metal. Para maiores informações acesse www.militecbrasil.com.br.

Confiram também esse meu vídeo onde também falei sobre essa minha experiência real com o condicionador de metais Militec 1:

Leia também:

One Comment on “Minha experiência pessoal com Militec 1, será que realmente funciona?”

  1. Comprei meu carro a pouco tempo, mas sempre dirigi carros de terceiros. Seu relato está me ajudando a perder o medo de usar o condicionador (importante frisar que isso não é um aditivo). Como meu uso é severo (faço troca de 5 em 5 mil km), acredito que valha a pena. Meu carro não é novo, é um Cobalt 2013 1.8, acho que ele vai gostar do condicionador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.