Renault anuncia venda do Zoe ao consumidor final no Salão do Automóvel de São Paulo

A mobilidade elétrica, zero emissão de poluentes no uso, é o destaque da Renault no Salão do Automóvel de São Paulo. Pioneira e líder na venda de veículos elétricos na Europa, a marca agora começa a vender o Zoe ao público final a partir de 6 de novembro. Até então, o veículo era comercializado no Brasil somente para empresas em projetos envolvendo a mobilidade zero emissão. O cliente que se interessar pode fazer a reserva no site eletricos.renault.com.br, no estande da marca no Salão do Automóvel ou nas concessionárias Sinal, em São Paulo, e Globo, em Curitiba.

Renault Zoe, veículo totalmente elétrico – Fotos: Divulgação

“A liderança da Renault no mercado de veículos elétricos na Europa é reflexo do nosso pioneirismo. No Brasil, também estamos em primeiro lugar na venda de carros 100% elétricos, com mais de 150 veículos vendidos. Agora passamos a oferecer ao público em geral a possibilidade de adquirir um carro zero emissão. Para isso escolhemos o Zoe, que é o carro elétrico mais vendido no mercado europeu”, diz Luiz Fernando Pedrucci, presidente da Renault para a América Latina.

Renault Zoe começa a ser vendido para o público em geral

O compacto Zoe, o elétrico mais vendido da Europa, começa a ser vendido no dia 6 de novembro no Brasil pelo site www.eletricos.renault.com.br. O modelo chega na versão Intense, com preço sugerido de R$ 149.990. Duas concessionárias, a Sinal, em São Paulo, e a Globo, em Curitiba, terão carros para test-drive logo após o Salão do Automóvel e venderão o Zoe.

Renault Zoe, laçamento no Salão do Automóvel

O Zoe possui autonomia superior a 300 quilômetros (ciclo WLTP), graças à bateria Z.E. 40. Plugado em uma corrente trifásica de 22 kW, o veículo leva apenas 1h40 para chegar 80% de sua carga total. A bateria Z.E. 40 foi desenvolvida com base em uma importante inovação: o aumento da densidade energética por meio do aumento da capacidade de armazenagem da bateria, mantendo o tamanho, solução mais avançada para também para respeitar a limitação em relação ao aumento de peso.

Renault Zoe no Salão Internacional do Automóvel

O Zoe possui um motor de alta eficiência energética e uma gestão eletrônica otimizada da bateria, limitando o consumo elétrico do veículo na utilização, ao mesmo tempo em que mantém a potência. Lançado no início de 2015, o R90 é um motor 100% Renault.

Desde o lançamento, o Zoe é o carro-chefe da tecnologia Renault Z.E., representando a excelência elétrica do Grupo. Entre os destaques desta tecnologia estão a frenagem regenerativa e a bomba de calor, que maximizam a autonomia.

Renault Zoe em São Paulo

Todos os veículos elétricos de série do Grupo Renault são projetados e concebidos pelos designers e engenheiros do Technocentre Renault, localizado em Guyancourt (região de Paris), sendo produzidos nas fábricas do Grupo. Esta expertise elétrica é concentrada principalmente na França, onde é realizada a concepção e produção com alto valor agregado. A Renault é responsável pela concepção e produção do Zoe e da maioria dos seus sistemas mecânicos.

Renault Zoe, veículo elétrico mais barato do Brasil

O Zoe é o primeiro carro concebido na Europa exclusivamente para a tecnologia 100% elétrica. O Zoe é produzido na fábrica Renault de Flins (região de Paris). O motor R90 do ZOE foi totalmente concebido pela Renault, resultando no depósito de 95 patentes. Uma das maiores inovações deste desenvolvimento consiste na miniaturização do Power Electronic Controller (Controlador Eletrônico de Potência), para integrar o módulo de interconexão, a eletrônica de potência e o carregador Caméléon, com um volume 25% menor em relação ao motor anterior.

Tomada para recarga do Renault Zoe

O motor R90 é produzido na fábrica da Renault de Cléon (região da Normandia), onde o Grupo concentra a produção de motores e caixas de câmbio de alto valor agregado (motores Energy, motores Renault Sport, etc.). Já o cárter que permite integrar a bateria no carro e os eixos dianteiro e traseiro do Zoe fazem parte dos sistemas mecânicos 100% Renault. Concebidos pela Engenharia de Chassis e Veículos Elétricos do Grupo Renault, eles são produzidos na fábrica da Renault de Le Mans (região de Sarthe).

Detalhe da tomada de recarga do Renault Zoe

Dirigir um veículo elétrico Renault é incrivelmente surpreendente, pois as acelerações e retomadas são vigorosas mesmo em rotações mais baixas, sem qualquer ruído do motor ou vibrações. O Zoe é um veículo ágil, fácil de manobrar e agradável ao dirigir, graças a um chassi adaptado às especificidades elétricas e ao trabalho realizado no ajuste da direção, pneus e amortecedores.

Rodas do Renault Zoe

Em uma fração de segundo, o motor elétrico R90 entrega um torque máximo de 22,9 kgfm, permitindo acelerações e retomadas ágeis mesmo em baixa rotação. A aceleração vai de 0 a 50 km/h – faixa mais frequente em uso urbano – em 4 segundos. A aceleração é fluida, perfeitamente linear e sem solavancos. Do ponto de vista do condutor, é como se ele tivesse o melhor câmbio automático do mercado.

Painel do Renault Zoe

Paralelamente, a natureza elétrica do Zoe proporciona uma condução mais tranquila principalmente graças à ausência de ruído do motor e vibrações. O som medido na cabine do Zoe entre 40 e 75 km/h é de 60 a 65 dB, o que é 2 a 3 vezes menor se comparado a um veículo térmico de potência equivalente.

A Renault já vendeu mais de 150 veículos 100% elétricos no Brasil para empresas como a Itaipu, Fedex, Transportadora Patrus e Natura, entre outras.

20 ANOS DE BRASIL: RECORDE DE PARTICIPAÇÃO

Produzindo no Brasil desde 1998, a Renault está no melhor momento de sua história no país em participação de mercado. Neste ano, a marca acumula 8,6% de market share de janeiro a outubro, um recorde. O resultado está atrelado ao sucesso comercial dos seus dois últimos lançamentos no Brasil: o Captur e o Kwid – líder absoluto do seu segmento, com 45% de participação de mercado entre os compactos de entrada, também no acumulado até outubro.

Bancos dianteiros do Renault Zoe

Hoje a marca fabrica sete veículos no país: Kwid, Sandero, Logan, Duster, Duster Oroch e Captur, expostos no Salão do Automóvel, além do comercial leve Master. No total, já são mais de 3 milhões de veículos e 4 milhões de motores produzidos em 20 anos de inovação da marca no país.

Bancos traseiro do Renault Zoe

“A Renault nunca deixou de investir no Brasil, mesmo em períodos de instabilidade econômica. É o que nos permitiu fortalecer nossa estrutura e lançar veículos que atendam às necessidades do consumidor brasileiro. Ultrapassamos a marca de 8% de participação de mercado e, até 2020, nossa meta é chegar a 10%. A aceitação dos nossos produtos nos mostra que estamos no caminho certo”, afirma Luiz Fernando Pedrucci, presidente da Renault para a América Latina.

Detalhe da tomada para recarga do Renault Zoe

A Renault do Brasil possui quatro unidades industriais instaladas no Complexo Ayrton Senna, no Paraná: a Curitiba Veículos de Passeio (CVP), Curitiba Veículos Utilitários (CVU), Curitiba Motores (CMO) e a Curitiba Injeção de Alumínio (CIA), inaugurada neste ano. Hoje o Complexo Ayrton Senna opera em três turnos e tem um total de 7.300 colaboradores. Para gerir suas ações socioambientais, a Renault criou, em 2010, o Instituto Renault. Atuando em dois eixos – Mobilidade Sustentável e Inclusão – o Instituto já alcançou mais de 700 mil pessoas no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.